sexta-feira, 15 de julho de 2011

Dúvidas

Deixe para atrás
pétalas com espinho
medrosas e imaturas
os espinhos machucam e deixam de viver
o desejo e carinho
guardados para você.
Você me olha com pé atrás
julga-me sem direito a resposta
joga palavras amargas
diz não para os meus abraços
meus dengos, maldade.

Maldade, deixar vazios em frases
repledos de saudade
dos momentos que vão se suceder.

terça-feira, 12 de julho de 2011

Aprendiz

Foda-se o racional
Eu quero grito e não silêncio
fazer o viva ao tempo suspenso
bocas gulosas
línguas insanas
peito saliva
e no todo
deixar rastros...
Sem adeus,sem tempos ou
contra-tempos
sem amanhã, sem ontem
sem medos ou pre-conceitos
ser presente
tua e minha
corpos gozos.

Desejos
vividos e sonhados na noite.
Desejos que deixam vontades.
Sede que não passa.
Martelam meu pensamento
na impossibilidade
a necessidade concreta
de
querer vivenciar de novo tudo
ou do tudo pelo menos um pouco
do seu abraço apertado 
em suspiro suspenso
num tempo aprendiz.

domingo, 10 de julho de 2011

Velhos conselhos

video

Saudades

Os encontros nos bares de Botafogo
com calor exagerado
com a chuva que nos deixa aprisionados
do frio imaginado.
Do cansaço das peças
produção, direção...imaginação
dos encontros literários
no Gragoatá
Mulheres, mulheres, mulheres...
Mulheres-amigas, mulheres-companheiras
mulheres-famílias.
Dos homens da minha vida
que compartem comigo
trabalhos e tormentos
dos poucos que me conhecem
dos muitos que me rodeiam
das festas, dos bares, da praia
Dos grupos diversos
do vinho, macarrão e gorgonzola
noite saborosa
das amizades identidade
das amizades inversas
inesperadas
do dia-a-dia juntos
perto ou longe
Tudo isso é minha memória
de um cotidiano
chamado Saudade.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

120 bpm

Não, não me eleva as palavras
não me esconde ou me expõe mais
não me amedronta, não me espelha
apenas demonstra as sensações das minhas
brincadeiras.
Brincadeiras!!!... porque nenhuma criança
é criança se não se aventurou em sua infância.
Brincadeiras!!!... porque nenhum adulto é adulto
se não tem uma parte criança.
Adulto brega porém sincero
imaturo e maduro que não oculta
os seus medos e riscos
Esse não sou eu.
Sou novos fragmentos em formação.
Infância-memória, criança-vitórias e criança das frustações.
passado-concreto,presente-processo
futuro incerto brincalhão.
Pulsos
a 120 bpm.
Perpassa o desejo,o medo,a espera,
a aventura e a insegurança, sim.
Como palavras engasgadas
suor seco transpirado
pulso cronometrado
em circuculação sangüinea latina-americana
marcada por samba, chorinho e maxixe.
Sinto falta do carnaval...